top of page
Buscar
  • Foto do escritorRodrigo Toffoli

SALMO 133: A Unidade Extraordinária

Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!

É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes.

É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. Ali, ordena o Senhor a sua bênção e a vida para sempre.

Salmos 133.1-3


O Salmo 133 faz parte de uma coleção de 15 cânticos, conhecida como salmos de romagem, cânticos dos degraus, salmos de peregrinação, cânticos de ascensão, etc., que agrupam os salmos 120 a 134.

De acordo com a tradição, todos esses salmos eram cantados durante a peregrinação até o monte Sião, local onde ficava o templo, o lugar de adoração.


E se nós fizermos uma leitura mais atenta desses salmos, é possível enxergarmos uma espécie de peregrinação. O salmo 120 começa com o adorador ainda distante do templo, cercado por descrentes, e a medida que vamos passando por cada uma deles, podemos notar um tipo de progressão da peregrinação dos fieis em direção ao monte de Deus.

Caminhando mais pro final dessa série nós chegamos até o salmo 133. E quem sabe a intenção aqui não é mostrar um cenário em que depois de um caminho tão difícil os peregrinos estão finalmente unidos no monte de Deus. E o salmista passa então a descrever como é extraordinária essa unidade entre os irmãos.


Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!

Salmos 133.1


Na abertura do salmo (V. 1), há um louvor à unidade: "como é bom que os irmãos vivam unidos".

A palavra bom aqui é a mesma que Deus usa várias vezes na criação (Gênesis 1.4,11,18,21,25,31), ou seja, Deus usa a união entre os irmãos para cumprir bons propósitos.

Na sequência do texto, o salmista vai mostrando quadro a quadro como essa união entre os irmãos é magnífica.


É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes.

Salmos 133.2


Aqui, existe uma conexão direta entre precioso e bom (v.1), o louvor à união e a união na prática tem o mesmo peso. Veja que o salmista aponta para o Êxodo, quando Deus orienta Moisés a preparar um perfume para ungir e santificar o tabernáculo, os seus objetos, Arão e seus filhos.

E em Levítico 8.12, Moisés unge Arão, exatamente como se descreve aqui, não é apenas um pouco de óleo na testa, é um banho de perfume, e Arão fica envolto por aquele óleo precioso.

O que o salmista quer mostrar aqui é que a unidade entre os irmãos é como esse perfume rico e precioso. Unidade tem bons propósitos para nós e agrada a Deus, e essa união extraordinária só é possível por causa do Senhor. É Ele quem promove a unidade entre o povo.


É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião

Salmos 133.3a


A analogia do salmista muda agora da unção do sacerdote para o orvalho do Monte Hermom. Esse monte fica na fronteira de Israel e uma das suas características é que ele derrama uma grande quantidade de orvalho.

Pra nós aqui no ocidente talvez seja difícil entender essa comparação, mas se pensarmos como o povo no oriente antigo que enfrentava ondas de calor escaldantes, ter um monte que derrama orvalho e traz uma sensação de frescor constante é muito valioso.

É exatamente essa ideia no que diz respeito a unidade. Deus derrama sobre nós e de forma abundante o frescor da unidade, através do Espírito Santo. E essa é exatamente a promessa que fecha esse salmo.


Ali, ordena o Senhor a sua bênção e a vida para sempre.

Salmos 133:3b


Quero terminar esse texto citando Romanos 15.5-7 e trazer 3 aplicações para nós sobre unidade:


Ora, o Deus da paciência e da consolação vos conceda o mesmo sentir de uns para com os outros, segundo Cristo Jesus,

para que e a uma voz glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.

Portanto, acolhei-vos uns aos outros, como também Cristo nos acolheu para a glória de Deus.

Romanos 15.5-7


1. Deus é quem concede e quem promove a unidade de seu povo. Essa unidade é muito maior do que afinidades superficiais, o mesmo pensamento, o mesmo sentimento, o mesmo coração. Unidos pelo mesmo sangue e pelo mesmo Espírito.

2. Essa união nos faz cumprir toda a lei de Deus, que para nós se resume em amar a Deus e amar o próximo.

3. Essa união extraordinária é agradável a Deus, porque o glorifica, e é boa para nós, porque cumpre os propósitos de Deus em nós e através de nós.




300 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

2 Comments


Marcos Paulo Dos Santos
Marcos Paulo Dos Santos
Jan 03, 2023

Excelente! Ótimo texto meu irmão. "Cuidemos também de nos animar uns aos outros no amor e na prática de boas obras" (Hb10.24)

Like

Rogerio Wohnrath
Rogerio Wohnrath
Jan 03, 2023

Esta união é muito mais do que estar reunidos e unidos, ele qualifica esta vida de união de boa e suave. A sabedoria que vem do alto é que enriquece (Pv 8.20; Pv 10.22)

Like
bottom of page